31.08.10

Parque Mayer

 

Inaugurado a 15 de Junho de 1922, em tempo de excessos nacionais.

 

No espaço couberam espaços de restauração (não da monarquia lol), recintos de patinagem, casas de fado, barraquinhas de feira e até Teatros vejam lá o que se fêz... Uma concentração de serviços complementares para dar imaginem lá, CULTURA ao povo...

tem a sua entrada sobre a Avenida da Liberdade com 4 magnificas torres desenhadas pelo Arq.. Cristino da Silva e adoptou o seu nome pelos jardins que serviam os antigos proprietários do Palácio Mayer.

Este novo polo depressa e bem, se tornou num dos mais bem sucedidos desvarios lisboetas e mais tarde de todo o país.

Maria Vitória, Variedades, Capitólio, Alhambra (mais tarde ABC), Pavilhão Português foram alguns dos locais de cultura ali instalados...

Sempre acompanhou o país nos seus avanços e recuos... tornando-se no estado novo numa espécie de refugio anti estado novo pois era ali que grandes nomes da nossa cultura escreviam textos contra a situação desenvolvida na altura... (não como outros que mais tarde amuaram e foram viver para fora e nós ainda tivemos que pagar o funeral)... Nomes como Vasco Santana, António Silva, Laura Alves, Beatriz Costa entre outros diziam as verdades em textos que, nem as inteligências do lápis azul (agora é um lápis rosa) da altura conseguiam censurar.

O povo sentia-se livre durante algumas horas, mas pelos vistos nada disso importa aos politicos de agora...

 

O Parque Mayer está abandonado (outra vez) com uma obra parada derivado a mais uma espécie de embargo ou lá o que é, que o Zé faz falta (a quem?) fêz porque mais uma vêz gosta de atrapalhar.

Se dei os parabéns ao António Costa por ter finalmente começado a se fazer qualquer coisa (concorde com o projecto ou não, pessoalmente era a favor do Casino no Parque Mayer) visível em vêz de "Blá Blá Blá Whiskas saquetas" do costume... Tinha finalmente arrancado qualquer coisa dentro do "nosso" Parque Mayer...

Vem alguem do executivo dele (para ter mais 15 minutos de fama) estragar o que de bom ele próprio tinha conseguido... Mas ele é que sabe de quem se rodeia.

 

Portanto...

 

O cidadão Zé faz falta (a quem?) põe um processo à CML, onde o mesmo Zé faz falta (a quem?) exerce funções de Vereador.

 

Resultado? A CML está a braços com mais um pedido de indemnização de cerca de 150 Milhões de euros, pela sociedade agora detentora dos terrenos do Campo Grande, antiga proprietária dos terrenos do Parque Mayer. (quer dizer agora é ao contrário)

 

Resultado? Mais uma vêz fica adiado o Parque Mayer e toda a zona envolvente, mesmo a tão famigerada obra de recuperação do Teatro Capitólio

(que passaria a Raul Solnado) Agora fica como (Buraco negro)...

 

Fazendo contas... 5 milhões do embargo ao túnel, 17 milhões de indemnização à construtora do túnel e mais 150 milhões (caso não haja acordo) desta última comédia encenada pelo Zé faz falta (a quem?), isto não falando ainda do problema do Aquaparque... Este cidadão/vereador pode ficar na história de Portugal como realmente o mais caro de sempre... (qual Cristiano Ronaldo qual quê!!)

 

 

publicado por morgadexsedlex às 12:31

26.05.09

E lá vem o Parque Mayer à baila outra vez...

 

Lá vão os tempos em que o PS criticava a posição assumida por Pedro Santana Lopes em relação à revitalização do Parque Mayer, ora era populista, ora era eleitoralista, ora era apenas contra por ser...

 

Qual não é agora o meu espanto (Bem, pensando bem não é espanto nenhum...) quando o actual Presidente da CML, resolve tratar da mesma forma o velho Parque Mayer... Ao que sei aproxima-se 3 meses de festa no Parque, o dinheiro do Casino de Lisboa que tanto jeito deu congelar enquanto Ministro da Administração Interna, e que miraculosamente se descongelou quando na Camara posse tomou. (se calhar avariou o congelador?)

 

Portanto bem ao estilo "made in USA" vai o PS usar mais uma vez as ideias de outros com pompa e circunstância de eleitoralismo e oportunismo a passar pela utupia do próximo Capitolio ( que passa a ELEFENTE BRANCO como já referi num post anterior ) isto até tem uma frase feita há muito... "COM AS CALÇAS DO MEU PAI EU SOU UM GRANDE HOMEM....".

 

Quando o Sr. Presidente da Republica vetou o Casino no Parque com a desculpa do jogo próximo dos jogadores... O PSD como educado que é, aceitou esse veto e partiu à procura de uma nova solução... Mesmo quando sabia que o lugar certo do Casino era o PARQUE MAYER, e sim era a única solução viável tanto economica como socialmente, mas não interessava ao PS porque dava a recondução automatica de sucessivos presidentes de Camara e talvez quem sabe de um ou outro Governo (SIM, PORQUE O PARQUE MAYER É IMPORTANTE PARA O PAÍS... QUER QUEIRAM OU NÃO...).

 

Portanto dá-me um certo gozo ver que afinal as ideias do PSD e em particular as de Pedro Santana Lopes só são boas quando é o Ps a tentar fazer passar a ideia que são eles a fazer...

publicado por morgadexsedlex às 14:10

05.12.08

 

 Bem hoje e ao fim de algum tempo volto a escrever, e desta vez sobre algo que me deixa furioso, pois estou fartinho de ver o Parque Mayer de rastos e com todos a valerem-se dele para algo.

 

Fui à apresentação do novo Capitolio hoje de manha, e com toda a pompa e circunstância ( como já é hábito no Ps) foram todos chamados à grande obra que vai ser o novo Capitolio.

 

Para quem não sabe o Cine-Teatro Capitolio é uma obra de Cristino da Silva que data de 1929 (telas finais) e tem como seu primeiro baptismo o nome de EL DOURADO derivado às suas linhas arrojadas e às suas laterais basculantes em vidro que com a luz emanada do seu interior lhe dava uma aura dourada... El Dourado era como o seu proprio nome indicava uma utupia que depressa Cristino da Silva percebeu, não tinha viabilidade economica (já em 1929) portanto em meados dos anos 30 e com a chegada do cinema sonoro depressa se chega à conclusão que era urgente alterar alguns aspectos do então El Dourado.

 

O patrocinio da obra (sim porque nem nesta altura o estado entrou com algum) obrigava a que o monumento de betão armado tivesse um nome português foi então que se passou a chamar CAPITOLIO, ja com um desenho mais teatro deixando de ser uma sala para cafe/cervejaria para concertos de Charlston ou bailes de fim de tarde. Foi tambem acrescentado uma cobertura para o então Jardim-Cinema pudesse funcionar mais que dois três meses por ano. Já que com as modificações era então possivel têr dois espectaculos ao mesmo tempo.

Com a chegada destas modificações a sala passou a ter 1200 lugares sentados e mais 600 no terraço café/concerto. Isto até ao seu provisorio encerramento em 1992 onde ficou como sala de ensaios da Orquestra Metropolitana de Lisboa pois devido à sua acustica era um bom espaço para se ensaiar.

 

Desde sempre que ouvi falar em obras no Parque Mayer e sempre tentei apreciar os projectos de uma forma construtiva e positiva, se o projecto do concurso para o Parque Mayer não me parece mau, o mesmo não posso dizer do projecto para recuperar o ainda de seu nome CAPITOLIO.

A sua transformação para o recuperar à traça original vai ser a morte do espaço que não se consegue viabilizar desta forma. ( O OUTRO SENHOR PERCEBEU LOGO ISSO)

Que me interessa ter uma plateia de 500 ou 600 lugares que se mexe para a esquerda ou direita se os espectáculos que la posso apresentar logo à partida são limitados, limitados porque salas sem fosso de orquestra com teias mais pequenas que o palco e rodeadas de vidro tipo estufa são limitadas, se posso pôr uma Orquestra não vou poder dar um concerto de rock, se posso pôr poesia já não posso fazer uma comédia e não é por só haver um palco mas sim porque tecnicamente assim não é possivel. Alem disso com 500 lugares não é possivel haver preços baixos nos bilhetes logo aí só as "elites" é que teêm direito a cultura.

Lisboa não tem uma só sala com 1200 (tirando o Tivoli que é Privado) tem salas com 354 lugares(Villaret)  lugares e passa para o Coliseu com cerca de 3000.

O CAPITOLIO assim dá para trazer espectáculos de fora, montagens internas, operetas, óperas, comedias, revistas, concertos dá para tudo. Quando digo assim é claro numa forma metafórica pois eu sei que o espaço precisa de obras de requalificação, mas não de uma sentença de morte ou vai o estado assumir a programação? Não me parece, pois os teatros nacionais ou municipais só passa aquilo que ninguem (publico em geral) quer vêr.

Qual é o produtor privado que vai agarrar num espaço assim???

Em suma depois destas obras o CAPITOLIO vai ser rebaptizado.

Lisboa vai ter mais um ELEFANTE BRANCO com cinema dois ou três meses por ano se a programação da sala de bailaricos o permitir...

Esta vereação camarária esta de cabeça perdida sem saber o que fazer e trás de volta a utupia ao novo nome do CAPITOLIO - ELEFANTE BRANCO

publicado por morgadexsedlex às 01:04

mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos
2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
blogs SAPO